Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 2 de março de 2012

Julinha, por quê?

- Júlia, quantos anos você tem?
Júlia coçou a cabeça e fez careta. Camila era a terceira pessoa a perguntar aquilo aquele dia.
- Por que essa pergunta? No que minha idade vai fazer diferença?
- Ué... Eu vou saber! - era estranho a menina questionar aquele ritual tradicional, parecia pirraça dela... Só faltava ela não querer dizer onde morava!
- Mas pra quê você quer saber onde é a minha casa? - não disse mesmo - Até parece que você quer me roubar!
Não era à toa que Julinha não tinha amigos. Ela nem dava chance para isso! Os colegas riam dela na outra escola e a chamavam de autista. Coitados! Nem deveriam saber o que a palavra significa. De qualquer forma, ela sempre dava um jeito de pôr a situação a seu favor e descobrir toda e qualquer intenção (que às vezes não passavam de casualidade) da pessoa que lhe interrogava sobre a vida.
- Roubar eu não quero, mas queria saber mais de você! - ponto pra Camila!
- Por que? Sequestro? - o empate foi engraçado, mas ainda empate.
- Para termos alguma coisa pra conversar, menina!
- Entendi... - silêncio.
- E aí? Não vai falar?
- Falar o quê?
- Onde você mora!!! - Camila quase pulou no pescoço da outra.
- Na minha casa, ué!
- Mas onde é a sua casa?
- Lá onde eu moro, na minha rua.
- Ai, meu Deus...
Tsc, tsc. Camila queria chorar! Essa Julinha não tem jeito mesmo...






Nenhum comentário:

Postar um comentário