Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 5 de abril de 2011

Historinha de ninar.

Estou sem muito o que fazer, meio entediada, esperando o sono chegar... Vou escrever alguma coisa clichê e aleatória aqui para passar o tempo =P
Podem rir, mas é a melhor distração ^ ^


           "Passos pesados pressionavam o assoalho podre da escada... Subiam devagar, como se temessem sua descoberta no recinto. O vento fazia o galho arranhar o vidro da janela...  E soprava gelado por dentre as frestas e buracos. 'Quem está aí?', ela queria perguntar, mas as palavras morreram na garganta. 
             As lágrimas grossas rolavam sobre face pálidas da menina. Seu corpo pequeno e frágil estremecia de pavor e de frio. Os pés, já adormecidos, espremiam-se um contra o outro, e os dedos se encolhiam, para não deixar o restante do seu calor ir embora. 
             'Tenho medo, muito medo...' - de que adiantaria seu medo? Seria morte na certa! Que criança sobreviveu sozinha àquelas mesmas circunstâncias, naquela mesma casa velha? Nenhuma.
             As passadas silenciaram lá fora. 
             A respiração acelerada parou. 'O que há?'. A maçaneta girou devagar. A porta começou a ranger enquanto se abria. Escuro, muito escuro. Só o luar iluminava aquele cômodo vazio, de cama e uma vela apagada. Um vulto grande, muito grande, começou a surgir bem diante dos olhos cinzas e arregalados da garotinha e...   
              'Céus!'"




uahauhauhauha! Gostei disso! xP
*comentários e sugestões para os próximos dias de bode, por favor*


Beijões de Iselo* \o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário